Candidíase: o que é, como tratar e como prevenir! - Dita cuja

Candidíase: o que é, como tratar e como prevenir!

Hoje a Dita Cuja veio falar dela, conhecida por muitas e temida por todas nós: a candidíase. Apesar de se tratar de uma infecção comum e de tratamento geral simples, é uma doença incômoda que afeta bastante a vida da mulher, tanto na esfera física, como emocional e sexual. Os principais sintomas são coceira intensa, corrimento esbranquiçado, inchaço da vulva e ardência.

Estudos feitos nessa área indicam que cerca de 70 a 75% das mulheres irão desenvolver candidíase pelo menos uma vez e de 5 a 8% irão apresentar casos de recorrência (quando acontece quatro ou mais vezes no ano), a qual precisa de bastante atenção! Tendo isso em vista, vem com a Dita desvendar tudo sobre essa doença tão presente na vida feminina.

Primeiramente, o que é a candidíase?

Como dito anteriormente, é nada mais do que uma infecção. Essa, em específico, é causada por fungos do gênero Candida e a espécie que mais se manifesta é a Candida albicans.

Certo, Dita. E como ela surge?

Na verdade, os fungos da candidíase estão sempre conosco, acredita? Eles vivem principalmente nos sistemas urogenital e gastrointestinal, de forma equilibrada com nosso corpo, sem nos causar qualquer malefício. No entanto, quando nossa imunidade abaixa ou há alguma alteração em nossa flora vaginal, os fungos aproveitam a oportunidade e fazem a festa!

Acontece assim: primeiro, devemos levar em conta a microbiota normal da vagina; ela é formada por todas as bactérias benéficas que vivem naquela região normalmente. Elas formam uma espécie de barreira protetora da vagina, uma vez que sua presença impede que micro-organismos patogênicos cresçam ali. Pensa só: se aquela área já está ocupada, outras bactérias, por exemplo, não encontrarão espaço nem nutrientes para viver ali. Os Lactobacillus presentes no canal vaginal, inclusive, fazem com que o meio se torne ácido, o que dificulta que outros tipos bacterianos que não fazem parte da microbiota normal cresçam ali. A natureza é sensacional, não é?

O problema vem quando há alguma alteração no sistema imune ou na flora protetora. Os antibióticos, por exemplo, são grandes responsáveis por alterar a microbiota normal, uma vez que agem não somente sobre as bactérias de uma doença, mas também nas bactérias que nos são benéficas. Outros fatores, como alimentação e uso de produtos inadequados para a região íntima também são capazes de afetar o microbioma vaginal. Essas alterações permitem que os micro-organismos patogênicos se manifestem ou, no caso da candidíase, aumentem significantemente.

Quando estamos saudáveis, a quantidade existente dos fungos Candida em nosso corpo não nos faz mal, mas quando o número aumenta, passa a ser patogênico!

E como tratar a candidíase?

Atualmente, existe uma variedade de medicamentos antifúngicos que podem ser utilizados, desde comprimidos até pomadas. Muitos estudos sobre tratamentos alternativos tem sido feitos, com destaque especial para a fitoterapia; inclusive, a melaleuca ganhou um super destaque nessa área e já possui sua eficiência comprovada! Para saber qual o tratamento mais adequado para o seu caso, sempre procure a orientação do seu ginecologista!

Entendi! E como posso prevenir?

É normal que em algum momento da vida a candidíase apareça, mas existem muitas recomendações para evitá-la. Aqui vão algumas delas: manter uma alimentação saudável e equilibrada, baixa em açúcares; preferir calcinhas de algodão; sempre usar preservativos quando houver algum distúrbio lá embaixo; realizar a higienização de forma adequada (se quiser ler um pouquinho sobre esse tema, clique aqui ), evitar ficar muito tempo com biquínis molhados em momentos de lazer, além de manter hábitos saudáveis em prol de uma boa imunidade.

Aqui na Dita Cuja, temos a missão de promover soluções para problemas cotidianos entre as mulheres, que não são falados abertamente, por ainda serem considerados tabu. Pensando nisso, desenvolvemos a Espuma de Higiene Íntima, que possui textura suave e pH regulado naturalmente pelo vinagre orgânico de maçã. Dessa forma, a espuma respeita o pH fisiológico e auxilia na manutenção da flora natural. Além disso, possui o óleo essencial de melaleuca em sua composição, que tem sido uma opção natural para a prevenção de infecções fúngicas causadas pelo gênero Candida.

Já o Sérum Íntimo 12 em 1 promove intensa hidratação antioxidante, com uma absorção super-rápida! Ele não acumula umidade e promove a regeneração celular. Possui ativos antissépticos, antifúngicos e antimicrobianos, como os óleos essenciais de melaleuca, lavanda e camomila.

Referências:

SOARES, DAGMAR MERCADO et al. CANDIDÍASE VULVOVAGINAL: UMA REVISÃO DE LITERATURA COM ABORDAGEM PARA Candida albicans. Brazilian Journal of Surgery & Clinical Research, v. 25, n. 1, 2018.

TOZZO, A. C. .; SANTOS, I. G. D. .; MATTIUZI, F. F. .; SANTOS, A. D. O. D. . FATORES ASSOCIADOS A CANDIDÍASE VAGINAL RECORRENTE. Revista Multidisciplinar em Saúde[S. l.], v. 2, n. 4, p. 32, 2021. DOI: 10.51161/rems/2173. Disponível em: https://editoraime.com.br/revistas/index.php/rems/article/view/2173. Acesso em: 9 ago. 2023..

LIMA, Letícia Souza; LACERDA, Valquíria Alice Michalczechen. Os efeitos do óleo essencial de melaleuca alternifolia cheel no tratamento da candidíase vulvovaginal recorrente. Revista Brasileira Interdisciplinar de Saúde, 2022.

Voltar para o blog