Líquen escleroso e qualidade de vida - Dita cuja

Líquen escleroso e qualidade de vida

Já ouviu falar em líquen escleroso? Antes de responder a essa pergunta, vamos à principal:

O que é o líquen escleroso?

É uma doença que acomete principalmente mulheres que estão na menopausa, provocando lesões na região íntima e perianal. No entanto, pode se manifestar em mulheres de qualquer idade e, em casos mais raros, até em homens. Inclusive, o líquen escleroso aparece na maioria das vezes na região genital, mas em alguns casos, pode se manifestar em diferentes áreas, como costas, pescoço e coxas.

Quando o líquen escleroso se manifesta na região genital, os principais sintomas estão relacionados a essa área: coceira intensa, lesões na pele, dores durante as relações sexuais e nos momentos de urinar e, em alguns casos, pode haver também atrofia e rachaduras na pele.

O líquen escleroso é uma doença transmissível?

Não! Por ser uma doença rara, ainda não há muitas pesquisas sobre, mas sabe-se que não é transmissível. No entanto, não se sabe exatamente o porquê do seu aparecimento. Até agora, os estudos realizados demonstram que é uma condição multifatorial, na qual questões hormonais, pré-disposição genética e alterações no sistema imune desempenham um forte papel. Estima-se que seja uma doença autoimune, na qual o próprio corpo ataca suas células.

Há cura para o líquen escleroso?

Infelizmente ainda não se sabe uma cura, sendo o líquen escleroso uma enfermidade crônica, que pode durar a vida inteira ou alguns anos. Atualmente, o tratamento medicamentoso mais comum é a aplicação de pomadas com alta concentração de corticoides. Esses, também conhecidos como corticosteroides, são hormônios produzidos naturalmente pelo corpo; no entanto, podem ser sintetizados para formular medicamentos que reduzem inflamações e atuam diminuindo a atividade do sistema imune.

Diminuir a atuação do sistema imune?

Pode parecer contraditório, afinal de contas, se meu sistema imunológico estiver trabalhando pouco, a doença vai piorar, não? No caso do líquen escleroso, não! Precisamos pensá-lo como uma doença autoimune: os ferimentos surgem pois as células imunológicas estão em uma atividade super intensa, mais alta do que o normal. Sendo assim, o sistema imune acaba por atacar não somente corpos estranhos e maléficos, como também o próprio corpo, ocasionando as lesões características do líquen escleroso. Quando se diminui essa atividade pelos corticoides, diminui-se os ataques às células saudáveis.

Esse processo está presente em todas as doenças autoimunes; o que muda são apenas as células afetadas. Inclusive, esse processo não é tão raro. Existem muitas doenças autoimunes pelo mundo. Tenho certeza de que você já ouviu falar de lúpus, psoríase ou artrite, por exemplo.

No entanto, ter líquen escleroso não é sinônimo de má qualidade de vida!

Como toda doença, a intervenção medicamentosa é super importante, mas também é essencial que haja tratamento dos sintomas e a prevenção de complicações. No caso de líquen escleroso, é recomendado o uso de produtos hidratantes, para evitar rachaduras na pele sensível, por exemplo. Além disso, manter a pele da sua ppk hidratada irá auxiliar na prevenção de coceiras por ressecamento e irá ajudar a evitar que as lesões se ampliem. Também é muito importante o uso de produtos específicos para a higienização da região íntima, uma vez que essa estará muito sensibilizada.

É imprescindível, inclusive, o acompanhamento de um médico(a). Pergunte e peça orientações quanto a qualquer produto que você for utilizar! Seu ginecologista saberá te conduzir com muita confiança durante esse tratamento, em direção a uma vida de qualidade.

Aqui na Dita Cuja, nosso propósito é auxiliar nossas clientes em todas as fases da vida! Buscamos proporcionar conforto e alívio em questões da vida feminina que são pouco debatidas. Por isso, desenvolvemos com muito carinho um sérum íntimo com 12 super benefícios advindos de 12 maravilhosos ativos naturais! Ele irá auxiliar a manter a pele hidratada, através de componentes como o óleo de coco e o óleo de semente de uva, além de atuar na regeneração das células da pele, pela ação de compostos como a vitamina E e o óleo de rosa mosqueta.

Além disso, desenvolvemos também uma espuma de limpeza suave, que higieniza sem agredir a pele! Ela possui o pH regulado naturalmente pelo vinagre de maçã orgânico, para ser semelhante ao pH natural da vulva, além de possuir compostos cicatrizantes e calmantes, como o extrato de romã e a calêndula. Ela certamente será uma ótima aliada nesse momento em que a pele da sua ppk precisará de cuidados específicos e suaves!

Ah, e lembre-se de sempre perguntar orientações ao seu médico e realizar os testes de alergia! Vale ressaltar que os produtos da Dita Cuja não são medicamentos, mas sim cosméticos para auxiliar nessa jornada de autocuidado!

Referências:

AZEVEDO, Lúcia Maria Soares de; SANTOS, Maria Amélia Lopes; PEREIRA JÚNIOR, Antonio Carlos. Líquen escleroso e atrófico. An. bras. dermatol , pág. 179-82, 1989.

TORRES, Ermelindo et al. Líquen escleroso da vulva - revisão de 208 casos. Revista da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia , v. 70, não. 1 pág. 81-81, 2012.

COELHO, Weber Soares; DINIZ, Lucia Martins; SOUZA FILHO, João Basílio de. Líquen escleroso e atrófico: relato de dois casos de apresentação atípica. Anais brasileiros de dermatologia, v. 81, p. S297-S300, 2006.

Chung ASJ, Suarez OA. Current treatment of lichen sclerosus and stricture. World J Urol. 2020 Dec;38(12):3061-3067. doi: 10.1007/s00345-019-03030-z. Epub 2019 Dec 5. PMID: 31807846.

Voltar para o blog